Combinação Ardente: Homem e Máquina

Dentre as novidades que The Dark Illusion está trazendo, um arquétipo em particular chama a atenção pelo seu potencial. Os Metalfoes, chamados de Metalphosis no OCG, combinam a mecânica de invocação Pendulum com uma habilidade espantosa de acelerar jogadas, colocando cartas do deck diretamente no campo. Não somente isso, a capacidade natural de hibridização do arquétipo compensa a falta de efeitos de seus monstros e abre a possibilidade de criar combos poderosos e ousados. Se você gosta de uma boa e velha junção do espírito fervente do ser humano com a rigidez do metal frio, estas podem ser as cartas que você estava procurando.
Comecemos falando dos destemidos pilotos originais que compõem o deck principal. O corredor feroz que é um com a sua moto, Metalfoes Steelen. A assassina invisível com um jato que se move na velocidade da luz, Metalfoes Silverd. O homem dourado com manobras que ninguém consegue rivalizar, Metalfoes Goldriver. E... um cara cabeludo pilotando um negócio que parece um tipo de tanque de guerra, eu acho, Metalfoes Volflame.  Todos eles são Pendulum e compartilham um mesmo efeito quando colocados na Pendulum Zone: destruindo outra carta virada para cima que ele controla, o jogador pode escolher uma carta mágica ou armadilha Metalfoes do seu deck e colocá-la virada para baixo no campo. Tal efeito só pode ser usado uma vez por turno, mas essa restrição não se aplica a outras cópias. Logo, é possível destruir constantemente as cartas nas suas Pendulum Zones, substituindo-as por novos Metalfoes da mão, para continuar repetindo os efeitos.

O fato de serem monstros normais os torna alvos válidos para mágicas como Summoner's Art e Painful Decision, que reduzem ainda mais a quantidade de cartas no seu baralho, aumentando as suas chances de comprar aquilo que realmente precisa. Além disso, os níveis variados dos monstros Metalfoes aumentam a gama de invocações Synchro e/ou Xyz em que podem ser usados como materiais.

Além deles, um novo corredor foi apresentado em Invasion of Venom: Raremetalfoes Bismagia, o primeiro a incluir um efeito de monstro. Além de possuir a mesma habilidade Pendulum que seus companheiros, quando Bismagia é destruído (por batalha ou efeito) ele permite que seu dono adicione um monstro Metalfoes do deck para a mão durante a fase final. Como se trata de um monstro de nível 1, seu efeito não pode ser usado de forma abusiva, mas ainda assim trata-se de uma adição muito bem-vinda, já que, diferente dos demais, é um alvo que seu oponente pensará duas vezes antes de destruir.

Sendo um arquétipo baseado em Fusion, ele inclui sua própria mágica de fusão: Metalfoes Fusion. É como uma Polymerization que só pode ser usada para invocar monstros Metalfoes, mas que também inclui um segundo efeito muito especial. Para compensar a grande fraqueza das invocações Fusion (depender do uso de uma carta mágica), se Metalfoes Fusion estiver no cemitério, você pode embaralhar a carta no deck e comprar outra, inclusive no mesmo turno em que ela tenha sido enviada para lá! Ainda que este último efeito só possa ser usado uma vez por turno, graças a ele é possível criar um ciclo (quase) infinito de busca do deck e retorno ao deck em conjunto com suas escalas, funcionando com tal eficiência que faria até mesmo o mais ferrenho crítico de fusões hesitar em deixar Metalfoes Fusion de lado.

E já que a Konami aparentemente gostou da ideia de criar arquétipos dentro de arquétipos, outra carta que surgiu em Invasion of Venom é a sucessora espiritual do estilo Shaddoll Fusion/El Shaddoll Fusion: a Fullmetalfoes Fusion! Sua função é a mesma que a Metalfoes Fusion, com o bônus de que é uma carta Quick-Play. Infelizmente, esta aqui não possui o efeito de retornar ao deck e, portanto, só pode ser usada uma única vez. Isso invariavelmente compromete sua utilidade, já que o melhor a ser feito com ela seria criar jogadas de OTK ou então surpreender o adversário com um Fullmetalfoes Alkahest depois de ele já ter invocado algum monstro importante.

Quanto às demais cartas que podem ser buscadas pelo efeito das escalas, temos Metalfoes Combination e Metalfoes Counter, que, apesar do nome enganoso, é só uma armadilha normal. Separadas elas são úteis, mas juntas se completam. A primeira é uma armadilha contínua que lhe permite invocar um Metalfoes do seu cemitério quando ocorrer uma invocação Fusion, contanto que o monstro que você escolher seja de um nível menor. Isso já é bem interessante, mas o verdadeiro potencial de Metalfoes Combination só é liberado no momento em que ela é enviada do campo para o cemitério. Quando isto acontece, você pode adicionar qualquer monstro Metalfoes do deck para a sua mão. Já Metalfoes Counter deve ser ativada apenas quando uma carta do seu lado do campo for destruída em batalha ou por efeito e, se isso acontecer, você pode invocar um monstro Metalfoes diretamente do deck. Inclusive, se Metalfoes Counter estiver no cemitério, é possível bani-la para recuperar um Metalfoes Pendulum que esteja no seu deck extra de volta para a mão (mas não no mesmo turno em que Metalfoes Counter foi para o cemitério).

Ainda que você esteja usando apenas as cartas do próprio arquétipo, com apenas um Metalfoes na sua Pendulum Zone e essas duas armadilhas já preparadas, é possível trazer mais três cartas para o jogo num único e rápido combo. Uma mágica ou armadilha Metalfoes qualquer pelo efeito da escala, um monstro Metalfoes (na mão) pelo efeito da Combination e então mais um monstro (no campo) graças ao Counter (que pode ser ativado em reação à destruição da sua outra armadilha).

E agora vem a parte interessante! Ou quase. Infelizmente, esse potencial incrível esbarra no fato de que a junção entre os pilotos ardentes e seus veículos turbinados resultou em monstros que, se impressionam, é apenas na aparência. Adamante e Crimsonite, por exemplo, provavelmente não encontrarão espaço no seu deck extra. Sem qualquer efeito e com valores de ataque pouco expressivos para o trabalho de invocá-los, eles não têm muito a oferecer. Mesmo usando a mágica de campo Metamorformation, que aumenta o ataque e a defesa de monstros Metalfoes em 300 e os torna imunes a efeitos se eles próprios não possuírem um efeito, ainda assim há pouca justificativa para usá-los no lugar de invocações Synchro ou Xyz. A própria Metamorformation perde utilidade por não ser um alvo válido para os efeitos das escalas.

Pelo menos Metalfoes Orichalc, a terceira fusão lançada no The Dark Illusion, não decepciona tanto. Munido da habilidade de fazer com que TODOS os seus Metalfoes causem dano perfurante dobrado, ele é o terror dos decks defensivos junto com Blue-Eyes Chaos MAX Dragon. Além disso, seu ataque é de 2800, maior que o ataque do Adamante, cujas exigências de invocação são bem parecidas. Para completar o pacote, se Orichalc for enviado do campo para o cemitério, você pode escolher e destruir uma carta no campo.

Agora, se isso tudo está fazendo você desanimar da ideia de usar esse arquétipo, aí vai uma boa notícia. Invasion of Venom quer mostrar que você tem motivos sim para usar sua Metalfoes Fusion, trazendo consigo os estreantes Metalfoes Mythriel e o alquimista federal Fullmetalfoes Alkahest. Com 2600 de ataque, Mythriel pode embaralhar duas cartas Metalfoes do seu cemitério no deck e, quando faz isso, devolve uma carta do campo para a mão. Além de badass, ela é realmente uma amiga para todas as horas que não deixa você na mão mesmo se for enviada do campo para o cemitério. Se isso acontecer, você poderá invocar um Metalfoes Pendulum do deck extra ou do cemitério.

Contudo, quem realmente vai dar o que falar é Alkahest. Não o subestime só porque ele é baixinho e tem nível 1! No turno do adversário, um dos monstros dele pode ser transmutado, virando assim um equipamento ligado ao Alkahest, que ganha defesa igual ao ataque original combinado de todos os monstros que foram equipados desta forma. Por sinal, cartas que tenham sido equipadas no alquimista federal podem ser usadas como materiais de fusão para a invocação de um monstro Metalfoes. Esta última habilidade, porém, é algo que você provavelmente só vai usar se estiver enfrentando outro deck Pendulum.

No fim das contas, a despeito do potencial de suas jogadas, não podemos fugir do fato de que a verdadeira força dos Metalfoes vem do potencial imenso de criar novas combinações em cima de estratégias já existentes. De fato, praticamente qualquer carta que ative um efeito ao ser destruída ou no cemitério pode ser usada em conjunto com o arquétipo. Não somente isso, suas escalas abrangentes permitem que eles se encaixem em diversos decks, especialmente Pendulum, sem prejudicá-los.

Um híbrido que ganhou bastante popularidade é a mistura de Metalfoes com Yang Zing. O que acontece quando se junta um arquétipo conhecido por fazer buscas velozes com outro que flutua mais que o Balão Mágico? A resposta é: uma redução de cartas no seu deck em níveis astronômicos somada à possibilidade de gerenciar suas jogadas com muito mais facilidade. Sabe aquela mão em que você saiu com várias cartas Yang Zing, mas nenhum Jiaotu? Agora é só destruir um outro Yang Zing qualquer e pronto: invocação Synchro. Lembra aquele Zefraniu que você usava uma vez e depois nunca mais? Pois é, agora ele vai voltar trazendo aquele mágica ou armadilha Yang Zing que faltava na sua mão!

Sabe que outra carta espalha amor e alto astral quando é destruída? Guiding Ariadne. A melhor parte é que, diferente da estratégia clássica com Luster Pendulum, neste caso é possível destruí-la independente da zona que estiver ocupando no campo. E se você é do tipo que faz questão de colocar Cyber Dragon Infinity em tudo quanto é deck, os Metalfoes não vão decepcioná-lo. Basta adicionar um Qliphort Scout e um Qliphort Monolith e pronto: busque Monolith com Scout, destrua Scout com uma de suas escalas e depois invoque ambos para fazer seu oponente bufar de raiva.

Aliás, se você acha que Cyber Dragon Infinity é cancerígeno, espere até lançarem Treatoad por aqui. Garanto que vai sentir saudades da época em que o pior que podia lhe acontecer era ter que gastar um recurso a mais para tirar o monstro do campo.

Bem, já que estamos falando mesmo de monstros Xyz irritantes, por que não incluir um parágrafo para mencionar os de Rank 7? Metalfoes Volflame é desse nível, afinal de contas, e isso significa que você pode colocar em ação, além de clássicos como Big Eye ou Red-Eyes Flare Metal Dragon, até mesmo opções mais ousadas como Odd-Eyes Absolute Dragon. Para que depender do inimigo quando você mesmo pode destruí-lo a fim de invocar Odd-Eyes Vortex Dragon?

Enfim, estamos numa nação livre. Invente você mesmo seus combos mirabolantes e veja como eles funcionam!

Se esse novo arquétipo vai ser conhecido como METAlfoes ou se vai apenas marcar presença (como foi o caso dos Majespecter), saberemos dentro dos próximos meses. Seu impacto no TCG ainda não deve vir com força total, mas eu certamente estarei observando com atenção como as estratégias envolvendo eles vão evoluir, e com que grau de sucesso.

Para terminar, algumas sugestões de cartas que podem ser úteis:
  • Archfiend Eccentrick: Por razões óbvias.
  • Luster Pendulum, the Dracoslayer: É muito mais fácil gerenciar esta carta se você pode escolher quando tirá-la da Pendulum Zone para usar como material, sem contar que Dinoster Powerful e Ignister Prominence funcionam muito bem em conjunto com Metalfoes.
  • Majespecter Unicorn - Kirin/Mist Valley Apex Avian: Se você estiver se sentindo babaca.
  • Faustian Bargain: O truque aqui é que o efeito desta carta não só envia monstros para o cemitério sem destruir, como também não faz alvo.
  • Igknight Reload: Se estiver usando um deck focado apenas em Pendulum.
  • Emergency Teleport: Já que todos os Metalfoes são do tipo Psychic, esta carta pode ser usada como um coringa para ajustar o nível de uma invocação Synchro ou para trazer um Bismagia e depois destruí-lo.
  • Supply Squad: Porque já que você está destruindo seus próprios monstros, por que não lucrar um pouco com isso?
  • Mind Over Matter: Voltada para builds com Ariadne. Mind Over Matter é uma armadilha muito poderosa com um custo que pode ser pago facilmente pelos Metalfoes.
Combinação Ardente: Homem e Máquina Combinação Ardente: Homem e Máquina Reviewed by Julian VK on 19:56:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.